DEPOTzNET - saude - tecnologia - cultura - ciencia - biblioteca - imagens - musica - artes
Menu Principal
DEPOTzNET-index
Pesquisar No Site
Arquivos/Conteúdo
Links + Quentes
Jogos em Flash
Cartões Postais
Letras de Musicas
Sites de Musica
Sites de Video-Clips
Rádios na Internet

BlueBook Search
Emails de Famosos
AntiVirus Online
Calendário de Datas
Download Direto
Biblioteca Digital
Galeria de Imagens
Som em Samples
Hospede Arquivos
Hospede seu Blog
Hospede seu Site
Brasil - Listas
Brasil - Provedores
Brasil - Universidades
Brasil - Filantropia
EMDOC Consultorio
Login
Usuário
Senha
Lembrar

Canil - Dicas para Donos e Tratadores de CãesImprimir
Fonte: http://br.geocities.com/canilaroeira/dicas.htm

Esquema de manutenção dos animais e do quintal:

Pequenos procedimentos para manter o seu cão em boa saúde poderão lhe poupar grandes gastos com veterinários. Um cão saudável, livre de parasitas, viverá melhor e por mais tempo.

Manutenção:

Como nossa criação é em correntes, espalhamos cal virgem no chão quatro vezes por ano. Esse procedimento ajuda eliminar odores no quintal. Cuidado com a quantidade para não irritar os olhos dos animais. Lembre-se de retirá-los do local antes da aplicação.

Para controlar parasitas externos (pulgas e carrapatos) usamos Fipronil (Front Line ou Top Line) de 3 em 3 meses. Como temos vários animais, usamos o Top Line, que sai mais barato, na proporção de 1 ml para cada 4 ou 5 Kg de peso.

Se a criação for no cimento, dar combate preventivo da seguinte maneira:

De 21 em 21 dias de Janeiro à Março e de Setembro à Novembro alternando sempre o princípio ativo para não criar resistência. Ex: deltametrina, amitráz, ddvp. Segundo veterinários, esse é o período de maior atividade reprodutiva dos carrapatos.

Vermifugação:

Vermifugamos os cães de 3 em 3 meses com vermífugo “plus” (dose única) e Ivomec 1% na proporção de 1 ml para cada 50 Kg de peso, retiramos a quantidade do frasco e administramos via oral. A aplicação do Ivomec subcutâneo pode causar abscessos e fibrose no local da aplicação.

Nota: vermífugos "plus" são aqueles de dose única, os demais, albendazol, mebendazol, tiabendazol, metronidazol e outros, necessitam de algumas repetições, portanto gera um pouco mais de trabalho, por isso, nossa preferência pelos de dose única, geralmente os princípios ativos são: Pamoato de Pirantel, Pamoato de Oxantel, Praziquantel.

Giardíase:

Existe uma vacina contra Giárdia. Sinceramente nunca usamos. A giardíase aqui para nós é uma doença rara, que acomete poucos animais e que tem um tratamento simples e barato. É o seguinte:

Secnidazol

Adultos: 1 comprimido de 1g em dose única.

Filhotes: Suspensão - 30 mg/Kg ou seja 1 ml/Kg em dose única.

Gastroenterites:

Esse é dos principais problemas que ocorrem em filhotes. As gastroenterites podem ser de origem virótica ou não. Tanto nos casos de viroses, como a Parvovirose por exemplo, ou qualquer outra origem etiológica, as gastroenterites poderão ser tratadas da mesma maneira. O tratamento é fácil e barato se for iniciado precocemente, antes dos sintomas se agravarem. Caso isso aconteça, o melhor é procurar o veterinário para fazer a internação do animal.

Os principais sintomas são: diarréira e vômito. No caso das diarréias podem ser sanguinolentas ou não. Em todos os casos deverá ser feito um exame de sangue para se obter o diagnóstico diferencial de gastroenterite para outras doenças.

Caso confirmado a Gastroenterie o tratamento é o seguinte:

Pepto Bismol ou Peptosil (Salicilato de Bismuto): 0,5 ml/Kg de peso de 4/4 horas. Esse é o melhor remédio para diarréia em cães, além de cortar a diarréira, ajuda acalmar o estômago. Se vc dá o remédio e o animal vomita novamente, não desista qualquer quantidade que ficar, por menor que seja, já estará ajudando. Repita novamente após 4 horas até que os vômitos tenham desaparecido.

Metoclopramida (Plasil): Poderá ser usado para ajudar controlar os vômitos, caso o Pepto Bismol sozinho não consiga. A dose será 0,5 mg/Kg/dia que daria mais ou menos 2,5 a 3 gotas. Então seria 1,5 gota/Kg duas vezes ao dia. Isso seria para filhotes bem novos, para cães maiores pode-se fazer ao invés de duas, três doses diárias.

Sulfas (Sulfassalazina, Sulfametoxazol, Sulfadimetoxina): Suspensão 40 mg/ml: Dar 1ml/Kg de peso de 12/12 horas durante cinco dias. As sulfas geralmente vem associadas com Trimetropina, o que interessa é a dosagem da Sulfa.

Metronidazol: Suspensão 40 mg/ml: Dar 1ml/Kg de peso de 12/12 horas duarnte cinco dias.

Hidratação oral: à vontade com solução eletrolítica (Eletrolítico Pet, Pedialyte, Gatorade, soro caseiro, etc).

Hidratação parenteral: Soro fiosiológico ou Solução de Ringer com Lactato de Sódio 30/40 gts/min.
Obs: se chegar a situação de chogue os medicamentos acima citados (sulfa, metronidazol, metoclopramida) deverão ser administrados via endovenosa também. Nesses casos é melhor internar o animal no veterinário.

Suplementação vitamínica: Hemolitan Pet 0,1 ml/Kg ou 1 gota/Kg de peso.

Infestações:

No caso de haver infestação de pulgas, espalhar K-Othrine em pó periodicamente até que as pulgas tenham desaparecido. As pulgas vivem no chão e possuem um ciclo de mais ou menos quatro meses (do ovo à fase adulta). Em canis ou cimentados, controlam-se pulgas apenas lavando periodicamente o local, uma vez que as pulgas vivem no chão. Pode-se usar soluções como água sanitária e outros desinfetantes. Segundo o Centro de Controle de Zoonoses, se for feito combate com K-Othrine no terreno, não deverá ser plantado nada pelo período de 2 anos,

Na infestação de carrapatos, fazemos o esquema de combate igual ao de manutenção (21 em 21 dias), só que pelo período que for necessário para controlar a infestação. Pode se usar o K-Othrine em pó também.

Obs: A escolha do veneno em pó, é por que o seu mecanismo de ação é por contato, não possuem efeito residual. O combate feito por profissionais, com aqueles venenos que espalham apenas nos cantos e frestas é desperdício de dinheiro. Esses venenos só matarão os insetos que entrarem em contato com eles, como o ciclo de vida das pulgas é longo, logo aparecerão mais. Com o veneno em pó à medida que forem nascendo, vão morrendo pelo contato com o veneno.

Nos animais infestados, fazemos o esquema de Top Line e Ivomec de 30 em 30 dias durante 3 meses, depois passa-se para o esquema de manutenção.

Elichiose:

A eliminação de carrapatos do seu quintal lhe garantirá a eliminação de uma doença que mata muitos cães que é a Erlichiose canina. O causador dessa doença é a Erlichia, um hemoparasita que destrói a série branca do sangue, impede a formação de plaquetas levando o animal a um quadro de anemia, afetando também o fígado e os rins.

São vários os sintomas que podem apresentar um animal com Erlichiose, dentre eles, inapetência, desânimo, sede intensa, urina amarelo escuro, palidez das mucosas, edema no fígado e nos testículos, irritação nos olhos, etc. Portanto, com uma variação tão grande de sintomas o melhor é levar o animal para fazer exame de sangue.

Os exames que serão pedidos, são:

-Hemograma: neste vamos observar a contagem de plaquetas. No animal com Erlichiose ela será baixa. Normal: 160.000 - 500.000 mm3.
-Ponta de orelha: pode-se neste exame ver a bactéria propriamente dita. Para facilitar a interpretação do hemograma, caso você faça direto no laboratório, em caso de Erlichiose estrará escrito no final:
-Pesquisa de Hemoparasitas - Positivo para Erlichia.
Observações - Trombocitopenia

Se algum cão for contaminado, proceda o tratamento da seguinte maneira:

-1º dia - Uma dose de Imizol (0,5 ml/10Kg) juntamente com 1 ampola de Acrosin via subctânea.
-Doxiciclina: 5 a 10 mg/Kg de peso a cada 12 horas durante 21 dias, mesmo tendo desaparecido os sintomas.
-Hemolitan pet: 0,1 ml por Kg de peso duas vezes ao dia.
-21º dia - Uma dose de Imizol ((0,5 ml/10Kg) juntamente com 1 ampola de Acrosin via subctânea.

Vacinas e prevenção de doenças:

Outra dica importante e que tem dado bons resultados, no que diz respeito a doenças, principalmente a Parvovirose, é preparar a cadela para acasalar. No nosso caso, reduziu bruscamente a perda de filhotes.

Quando a cadela entra no cio, na primeira semana até 20 dias após o sangramento nós vacinamos a mesma. A vacina que nós usamos e recomendamos é a Duramune Max da Fort Dodge. Com essa medida, asseguramos a passagem de anticorpos para os filhotes. Nós também vermifugamos com vermífugo “plus”. Durante o período de gestação e amamentação oferecemos à cadela ração para filhotes à vontade.

Nos filhotes, o esquema de vacinação é o tradicional: 3 doses de Duramune Max a partir de 45 dias de vida de 21 em 21 dias e 1 de reforço 30 dias após a terceira. Nós não recebemos nenhum patrocínio para citar nome comercial desse ou daquele medicamento. Mas, descobrimos do pior jeito, que usar vacinas baratas é um excelente meio de desperdiçar dinheiro e perder filhotes.

A respeito da vermifugação, perguntamos a vários veterinários e não conseguimos um consenso sobre quando começa e quantas repetições no período de amamentação, então fica a critério da orientação do veterinário do local onde você for comprar.

O nosso sistema é um tanto quanto antitradicional e seguimos, mais ou menos, o esquema do Wilde Side Kennel descrito por Ed Faron e sua esposa Chris que é veterinária em seu livro. Se alguém quiser usar, nunca tivemos problema algum. É o seguinte:

A partir do trigésimo dia de vida, vermífugo “plus” e Ivomec (1 ml para 50 Kg) de 30 em 30 dias até o quarto mês, no total de 3 doses. Após a terceira dose ir para o esquema de manutenção.

Essas medidas simples, podem ter uma grande influência na saúde e bem estar de seus animais, tornando-os mais felizes e reprodutivos.

Acidentes e Emergências:

A criação de vários bulldogs em um quintal, ocasionalmente, pode originar alguns acidentes se algum deles escapar do seu canil ou corrente. Citaremos alguns protocolos de tratamento, baseado em experiência própria, sem nenhum vínculo com veterinários ou representantes desses medicamentos.

Instrumental e material de consumo:

1. Cabo de bisturi nº 3
2. Pinça hemostática reta
3. Pinça hemostática curva
4. Porta agulha
5. Pinça de dissecção (dente de rato)
6. Pinça de Alis
7. Tesoura reta
8. Tesoura curva
9. Lâmina de bisturi nº 15 ou 15C
10. Fio agulhado mono-nylon 3.0 - 2.0
11. Compressa de Gaze
12. Seringas descartáveis
13. Garrote
14. Cateter 18 a 21 mm
15. Equipo
16. Esparadrapo

Soluções de limpeza:

• Digluconato de Clorexidina 4%: é um excelente anti-séptico, possuindo amplo espectro de ação sobre os microrganismos e possui ainda efeito residual. Um pequeno inconveniente é que retarda o processo de cicatrização.
• PVP-I Polivinil Pirrolidona – Iodo: é também um bom anti-séptico, porém não possui efeito residual.

Onde encontrar: a Clorexidina é encontrada em Cirúrgicas (estabelecimentos que vendem materiais para médicos e hospitais), Dentais (estabelecimentos que vendem materiais para dentistas), Farmácias de manipulação. O PVP-I em todos os citados acima inclusive Farmácias convencionais.

*Não é recomendado usar álcool e/ou água oxigenada em feridas cruentas.

Antibióticos:

• Pentabiótico 2.400.000 UI: é a combinação de cinco antibióticos, proporcionando uma ação rápida após a injeção e mantém um efeito prolongado devido à combinação dos antibióticos. A vantagem disso é que pode ser feito em dose única, ou se tiver necessidade, repetição da dose dentro de três ou cinco dias, dependendo da gravidade da infecção;

Fórmula:
Benzilpenicilina benzatina.....................................................1.200.000 UI
Benzilpenicilina procaína.........................................................600.000 UI
Benzilpenicilina potássica........................................................600.000 UI
Diidroestreptomicina base (sulfato)................................................500 mg
Estreptomicina base (sulfato)..........................................................500 mg

Posologia: 1 ml para cada 10 Kg de peso vivo. Repetir após 3 ou 5 dias, se necessário.

Obs: Benzetacil (Benzilpenicilina benzatina) praticamente não tem nenhuma indicação para cães. Os níveis plasmáticos terapêuticos só são atingidos 10 horas após a aplicação, portanto, o objetivo de prevenir um processo infeccioso não será atingido, pois esse tempo é mais que suficiente para se estabelecer uma infecção. Além do mais, seu princípio ativo já está presente no Pentabiótico, juntamente com outras penicilinas e estreptomicinas de efeito mais rápido.

• Flotril 10%: o Enrofloxacino 10% é um antibiótico mais sofisticado, podendo ser usado em diversos tipos de infecções. Possui amplo espectro de ação, porém tem o inconveniente de ter que se fazer várias doses.
Posologia: 1 ml para cada 10 Kg de peso por dia por via intramuscular, subcutânea ou endovenosa, durante 3 a 5 dias, ou até o desaparecimento dos sintomas.

* Nos casos de acidentes simples o Pentabiótico pode ser o antibiótico de primeira escolha, já nos casos de choque será o Flotril 10%, pois pode ser administrado por via endovenosa.

Antiinflamatórios e Analgésicos:

• Hormonais: Os corticóides ou corticoesteróides possuem numerosas e diversificadas funções fisiológicas e ações farmacológicas. Influenciam o metabolismo, equilíbrio hídrico e eletrolítico, capacidade funcional de vários órgãos e tecidos. Além disso, os corticoesteróides dotam o organismo da capacidade de resistir, não a alguns, mas a todos os tipos de estímulos nocivos e modificações ambientais.. Existem dois grupos de corticóides os glicocorticóides e os mineralocorticóides. O de nosso interesse são os glicocorticóides, especialmente a Dexametasona.

Existem vários nomes comerciais da Dex, o de uso veterinário mais usado é o Azium. Cada ml de Azium contém 2 mg de Dexametasona.
Posologia: 0,25 a 1 ml/Kg/dia dependendo da gravidade, aplicados por via intramuscular ou endovenosa, sempre pela manhã. Os efeitos colaterais, geralmente questionados por muitos e mesmo descritos nas próprias bulas, são referentes a terapias com corticóides. Uma dose eventual, mesmo que alta, é desprovida de qualquer efeito nocivo ao organismo.

• Não hormonais: Nesses casos de urgências não vemos um bom motivo para se usar esse grupo de medicamentos. Se for usar, evitar os Diclofenacos e Salicilatos (Aspirina).

Estado de choque:

Pode ser que em algum desses acidentes, você não esteja em casa e a disputa foi longa. Não é incomum nesses casos os animais entrarem em choque por causa do esforço exagerado e traumas, principalmente, os que estiverem muito magros. Vamos citar o tipo mais comum e um tratamento emergencial, lembrando que nesses estados o melhor é procurar o veterinário.

Choque hipovolêmico:

É causado pela diminuição do volume de líquido intravascular. Pode ter como fator desencadeante a hemorragia e/ou desidratação.

Características: isquemia (palidez), diminuição da PA, diminuição da temperatura corporal. Uma disputa longa mesmo sem ferimentos graves ou hemorragia, pode levar a este estado de choque por desidratação, pelo fato que o mecanismo de homeostase (regulação da temperatura corporal) dos cães é muito rústico. A homeostase se faz apenas pela salivação, portanto a temperatura corporal aumenta rapidamente fazendo o animal perder líquidos e sais minerais.

Em alguns casos, o choque é reversível, em outros não. Temos que atentar para o fato que alguns estados mórbidos podem acompanhar o choque, causando a morte do animal se não forem observados e tratados. Um deles é o coma hipoglicêmico, além dos eventos que levaram ao choque, a depleção abrupta das reservas de glicogênio hepático e consumo da glicose circulante no sangue pelo esforço intenso e intermitente, levam a uma hipoglicemia e conseqüentemente ao coma.

Alguns dos sintomas são: tremores, cianose (aspecto arroxeado), vômitos e perda de consciência. Outro fator é que nesses estados, onde o metabolismo está alterado ocorre uma liberação de uma série de toxinas. Estudos comprovaram que o estado de choque irreversível nos cães se dá pela liberação na corrente sangüínea de uma toxina produzida no intestino hipóxico (pouca oxigenação).

Uma série de outros eventos podem ocorrer, esse breve apanhado tem como objetivo justificar a terapêutica proposta adiante. Levando em consideração todos esses fatores traçaremos alguns protocolos de emergência.

Choque devido à hemorragia causada por trauma socorrido urgentemente:

-Solução de cloreto de sódio a 0,9% correndo aberto. 500 ml
O soro fisiológico é utilizado primeiramente para tentar se obter além da hidratação, um aumento da pressão arterial.
-Solução de Ringer com lactato de sódio até obter hidratação desejada. Gotejamento: 30 a 40 gts/mim. O Ringer é um dos melhores expansores de plasma e mais fácil de ser encontrado.
-Dexametasona (Azium) será usada para evitar o edema cerebral e suprimir as reações das toxinas, como citado acima. Nenhuma literatura cita uma dosagem precisa de corticóides que deverá ser feita. Em humanos, de acordo com o peso, seria de 1 mg/Kg até um máximo de 16 mg, ou seja, um máximo de 8 ml. Como a maioria dos bulldogs pesam mais de 16 Kg, 8 ml será a dose que deverá ser administrada diretamente no soro.
-Enrofloxacino (Flotril 10%): assim que possível após o tratamento prioritário do choque, administrar antibióticos, visto que a boca dos animais é um local altamente contaminado e fatalmente um processo infeccioso irá se instalar. A dose usual da Enrofloxacino 10% é de 1 ml para cada 10 Kg de peso. Nesse caso faremos a chamada "dose de ataque" que será 2 vezes a dose terapêutica, ou seja, 2 ml para cada 10 Kg de peso no soro, ou diretamente na veia. Ou então uma dose profilática que pode ser até 4 vezes a dosagem terapêutica, ou seja, 4 ml EV. No segundo caso, geralmente não é necessário uma repetição do medicamento, caso contrário, siga a orientação das dosagens terapêuticas.

Obs: Nos estados de choque, todos os medicamentos devem ser aplicados por via endovenosa, estando abolida as vias intramuscular e subcutânea, uma vez que as condições de baixo fluxo tissular impedem a absorção dos medicamentos.

Choque devido à desidratação com ou sem hemorragia:

-Solução de cloreto de sódio a 0,9% correndo aberto. 500 ml
-Solução de Ringer com lactato de sódio até obter hidratação desejada. Gotejamento: 30 a 40 gts/mim
-Dexametasona (Azium): 8 ml no soro.
-Glicose 50%: uma ampola no soro. A glicose será usada tanto nos casos em que forem observados os sintomas acima citados de coma hipoglicêmico, quanto para prevenir esse estado.
Enrofloxacino (Flotril 10%): 2 - 4 ml para cada 10 Kg de peso.

Prevenção de choque:

Se a disputa foi longa, mas o animal não entrou em choque, podemos proceder de duas maneiras:

1- Hidratação com solução de Ringer com lactato mais uma ou duas ampolas de glicose 50 % no soro. Gotejamento: 30 a 40 gts/mim
2 - Hidratação com 500 ml de soro glicosado e mais 250 ml de Ringer com lactato, se necessário. Gotejamento: 30 a 40 gts/mim

Em ambos os casos uma dose alta de dexametasona deverá ser feita. Por exemplo, 3 a 5 ml de Azium no soro ou intramuscular. Uma dose de antibiótico também será necessária. Dependendo do estado do animal, pode se optar por um dos antibióticos citados acima, dobrando-se ou quadruplicando a dose terapêutica.

Incluído por webmaster em 07/06/2007 05:54 [Brasil]51025 Leituras - Imprimir
Publicidade
Artigos + Recentes
Letras de Músicas
Something for the Re...
Letras de Músicas
Nothing is Real
Letras de Músicas
Already Gone
Letras de Músicas
Dawson's Creeck Theme
Letras de Músicas
Paparazzi
Letras de Músicas
Faster Kill Pussycat
Letras de Músicas
Empire State Of Mind...
Letras de Músicas
Pretty In Pink
Links + Recentes
Internet Especial
Listal.com
Internet Especial
SongMeanings.net
Buscas Especializadas
Doctoralia
Buscas Especializadas
ListVerse.com
Buscas Especializadas
theBERRY.com
Buscas Especializadas
Media Guide Internet...
Buscas Especializadas
PicsDigger.com
Software - Windows
Sub2SSA
Downloads + Recentes
Pocket PC
Adobe Reader for Poc...
Suites Office
OpenOffice.org 2.2 EnUs
Windows OS
Adobe Flash Player P...
Multimidia
Yamaha-XG - Sintetiz...
Design e Editoração
ASPI Installation Ve...
Windows OS
HELP Read
Windows OS
ReaderWorks Standard...
Windows OS
Mobipocket Reader 5 ...


Click to view live stats for this site